.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

jueves, 5 de junio de 2014

Sérgio Godinho - Bom prazer

Fotografía de João Perdigão



BOM PRAZER

Bom prazer eu tirei do instante
em que o teu coração fremente
dançou forte no meu
bom prazer que me deu

Bom prazer eu tirei da calma
com que viste, no corpo, a alma
coração já bateu
bom prazer que me deu

Bom prazer é para
reparar na lua
e desenhar a cara
pousar no fundo
amor que do fundo sai

E sai, saía e sai
tudo o que eu pensaria
aqui vai

Vinho p´ra seduzir o corpo
sobremesa para o conforto
o relógio bateu
bom prazer que me deu

Amanhã já não muda a hora
nem eu vou, nem tu vens de fora
nada te demoveu
bom prazer que me deu

Bom prazer é para
reparar na lua
e desenhar a cara
pousar no fundo
amor que do fundo sai

E sai, saía e sai
tudo o que eu pensaria
aqui vai

Amanhã, pelo sol aberto
irei ver se esta luz dá certo
à luz tudo se leu
bom prazer que me deu

Férias foram nos meus sentidos
tão vagantes, tão doloridos
o teu pêlo no meu
bom prazer que me deu

Bom prazer é para
reparar na lua
e desenhar a cara
pousar no fundo
amor que do fundo sai

E sai, saía e sai
tudo o que eu pensaria
aqui vai

Amanhã, bom prazer eu ponho
no que faça do que hoje sonho
adeus, amor que é meu
bom prazer que me deu

Longe, à volta de cada esquina
o teu passo ainda me ilumina
o dia esmoreceu
bom prazer que me deu

Bom prazer é para
reparar na lua
e desenhar a cara
pousar no fundo
amor que do fundo sai

E sai, saía e sai
tudo o que eu pensaria
aqui vai

Sérgio Godinho