.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

lunes, 11 de mayo de 2015

Sá de Miranda - "Desarrezoado amor, dentro em meu peito"




Desarrezoado amor, dentro em meu peito,
tem guerra com a razão. Amor, que jaz
i já de muitos dias, manda e faz
tudo o que quer, a torto e a direito.

Não espera razões, tudo é despeito,
tudo soberba e força; faz, desfaz,
sem respeito nenhum; e quando em paz
cuidais que sois, então tudo é desfeito.

Doutra parte, a Razão tempos espia,
espia ocasiões de tarde em tarde,
que ajunta o tempo; enfim vem o seu dia:

Então não tem lugar certo onde aguarde
Amor; trata traições, que não confia
nem dos seus. Que farei quando tudo arde?

Francisco Sá de Miranda






Agnolo Bronzino, Cabeza de una joven mujer sonriendo (c. 1542-1543)




2 comentarios:

Paco Campos dijo...

Que farei quando tudo arde?

Título de una memorable novela de mi admirado António Lobo Antunes


Paco

El transcriptor dijo...

Excelente título, ¿n'? Hay que saber encontrarlos. Escribir la novela ya es algo más difícil :), y más las del señor Lobo Antunes. Hace mucho que no leo una novela suya, pero sus libros de Crónicas están siempre a mano, ya tiene cuatro, y el último incluye un CD con unas cuantas de ellas leídas por él mismo.

Pedro