.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

miércoles, 1 de julio de 2015

Chico Buarque - As vitrines





AS VITRINES

Eu te vejo sumir por aí
Te avisei que a cidade era um vão
Dá tua mão
Olha pra mim
Não faz assim
Não vai lá não

Os letreiros a te colorir
Embaraçam a minha visão
Eu te vi suspirar de aflição
E sair da sessão, frouxa de rir

Já te vejo brincando, gostando de ser
Tua sombra a se multiplicar
Nos teus olhos também posso ver
As vitrines te vendo passar

Na galeria, cada clarão
É como um dia depois de outro dia
Abrindo um salão
Passas em exposição
Passas sem ver teu vigia
Catando a poesia
Que entornas no chão









Aquí, una versión muy posterior, grabada en directo.




(Fotografía de Petrus: Rua do Arsenal, Lisboa)



2 comentarios:

Paco Campos dijo...

obra mestra


Paco

El transcriptor dijo...

Meu caro Paco, este es uno de esos discos sin desperdicio, me gustan todas, como "Vida" enterito, te acordarás de él:

http://lo-bueno-si-breve.blogspot.com.es/2014/01/chico-buarque-vida.html


Abrazos julianos