.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

viernes, 13 de noviembre de 2015

Chico Buarque - Retrato em branco e preto





RETRATO EM BRANCO E PRETO

Já conheço os passos dessa estrada
Sei que não vai dar em nada
Seus segredos sei de cor
Já conheço as pedras do caminho
E sei também que ali sozinho
Eu vou ficar, tanto pior
O que é que eu posso contra o encanto
Desse amor que eu nego tanto
Evito tanto
E que no entanto
Volta sempre a enfeitiçar
Com seus mesmos tristes velhos fatos
Que num álbum de retrato
Eu teimo em colecionar

Lá vou eu de novo como um tolo
Procurar o desconsolo
Que cansei de conhecer
Novos dias tristes, noites claras
Versos, cartas, minha cara
Ainda volto a lhe escrever
Pra dizer que isso é pecado
Eu trago o peito tão marcado
De lembranças do passado
E você sabe a razão
Vou colecionar mais um soneto
Outro retrato em branco e preto
A maltratar meu coração







2 comentarios:

Paco Campos dijo...

estupendo ejemplo de "parcería": Buarque en la letra y Jobim en la música

Paco

El transcriptor dijo...

Bela parceria, sim senhor!

Como la de "Eu te amo", por ejemplo (http://lo-bueno-si-breve.blogspot.com.es/2011/04/eu-te-amo-chico-buarque-y-telma-costa.html)

Apertas