.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

jueves, 30 de junio de 2016

Nelson Cavaquinho - Quando eu me chamar saudade

Nelson Cavaquinho, con la guitarra, junto a su amigo Cartola



QUANDO EU ME CHAMAR SAUDADE

Sei que amanhã
Quando eu morrer
Os meus amigos vão dizer
Que eu tinha um bom coração
Alguns até hão de chorar
E querer me homenagear
Fazendo de ouro um violão
Mas depois que o tempo passar
Sei que ninguém vai se lembrar
Que eu fui embora
Por isso é que eu penso assim
Se alguém quiser fazer por mim
Que faça agora.

Me dê as flores em vida
O carinho, a mão amiga,
Para aliviar meus ais.
Depois que eu me chamar saudade
Não preciso de vaidade
Quero preces e nada mais





"Nelson Cavaquinho (28/10/1911 a 17/02/1986) foi um importante músico brasileiro. Sambista carioca, compositor e cavaquinista na juventude, na maturidade optou pelo violão, desenvolvendo um estilo inimitável de tocá-lo, utilizando apenas dois dedos da mão direita. "Quando eu me chamar saudade" é uma das 75 músicas entre outros classicos como "A Flor e o Espinho" e "Folhas Secas" compostas com Guilherme de Brito. Dono de uma obra extensa, deixou mais de quatrocentas composições que eram feitas com extrema simplicidade, que encantaram e continuam encantando"


Elis Regina interpreta en el estudio una de las canciones compuestas por Nelson Cavaquinho, Folhas secas. Próximamente, la podremos escuchar aquí interpretada por su autor.