.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

viernes, 25 de noviembre de 2016

Herberto Helder - "A montanha fica pensativa até ao fim da claridade..."



IX

A montanha fica pensativa até ao fim da claridade, o vento dá alguns passos com uma braçada de glicínias — e depois tu partes, e depois o meio do mês tira o chapéu azul, e depois um país sem voz enche-se de pássaros iconográficos — e é então quando tu partes, nesse instante meu amor em pinturas vermelhas anjos planos cantam através da sua morte, e como vi um lugar estrangulado pela luz chego de uma terrível paixão, e depois nos jornais acontece uma paisagem ardente e criminal — e depois tu partes, entretanto trago para fora os espelhos que gravam a tua despedida cor de areia, as coisas respiram devagar para não perder a candura — e então tu partes, e então escreve-se as primeiras letras da noite com o perfume da mostarda, e é quando já estou bêbedo com a lua nascendo na minha camisa, gritam em todos os lados: ele sangra dos cabelos nos jardins de prata torturada — então tu partes, e as crianças de pensamento voltam a cabeça para ver a sagaz e mortal maneira de te inclinares na partida, os cães tremem olhando a minha camisa cheia de febre — e então tu partes meu amor: a pancada das águas, a salsa é taciturna.

Herberto Helder


Texto IX de Os animais carnívoros, incluído en Retrato em Movimento, in Poesia Toda (antologia 1953 – 1980), Assírio&Alvim, 1980.




(Salma Hayek fotografiada por Cass Bird, 2011)