.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

miércoles, 25 de enero de 2017

Tom Jobim & Elis Regina - Águas de março



Esta canción ya fue publicada aquí el 18 de marzo de 2011, pero no me resisto a repetirla hoy, que se cumple el nonagésimo aniversario del nacimiento de Antônio Carlos Jobim, maestro soberano. Es una obra maestra. 

Aquí, Elis, sola, interpreta esta belleza.


Instituto Antônio Carlos Jobim


ÁGUAS DE MARÇO

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol

É peroba do campo, é o nó da madeira
Caingá, candeia, é o MatitaPereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira

É o vento ventando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira

É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira
É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão

É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto o desgosto, é um pouco sozinho
É um estrepe, é um prego, é uma ponta, é um ponto
É um pingo pingando, é uma conta, é um conto

É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manhã, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada

É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato, na luz da manhã

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé

São as águas de março fechando o verão,
É a promessa de vida no teu coração

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
pau, pedra, fim, caminho
resto, toco, pouco, sozinho
caco, vidro, vida, sol, noite, morte, laço, anzol

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração.


El poeta Manuel Bandeira recibe la visita de Chico Buarque, Tom Jobim y Vinícius de Moraes 



Tom Jobim por Otto Stupakoff



3 comentarios:

Paco Campos dijo...

ese trío de músicos era la antítesis del trío de las Azores

Paco

El transcriptor dijo...

¡Ja, ja, Paco!

¡Cómo sos! Sólo de recordar los caretos de aquel trío le entran a uno escalofríos... (buneo, añádele al anfitrion, señor Barroso, y ya tienes un cuarteto...)


El transcriptor dijo...

E vamos lá cantarolar "É pau, é pedra, é o fim do caminho...". Bem melhor desta maneira.