.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar GóngoraWie schwer es ist, die Schönheit zu begreifen! Günter Eich

martes, 21 de febrero de 2017

José Afonso - Os Vampiros




30º aniversario de la muerte de José Afonso (23-2-1987).

Vampiros como estos siguen, por desgracia, vivos; parece que más vivos que nunca, y se reproducen por todas partes: "Eles comem tudo / Eles comem tudo / Eles comem tudo / E não deixam nada". ¡Pobre Europa, pobre mundo!

La primera versión de Os Vampiros, letra y música de José Afonso, pertenece a un disco de 1975 que nunca fue distribuido en Portugal, como puede leerse más abajo. Para mí ha sido una sorpresa. Al final de la entrada, puede escucharse la versión original de 1963.


OS VAMPIROS

No céu cinzento
Sob o astro mudo
Batendo as asas
Pela noite calada
Vem em bandos
Com pés veludo
Chupar o sangue
Fresco da manada
Se alguém se engana
Com seu ar sisudo
E lhes franqueia
As portas à chegada

Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada

A toda a parte
Chegam os vampiros
Poisam nos prédios
Poisam nas calçadas
Trazem no ventre
Despojos antigos
Mas nada os prende
Às vidas acabadas

São os mordomos
Do universo todo
Senhores à força
Mandadores sem lei
Enchem as tulhas
Bebem vinho novo
Dançam a ronda
No pinhal do rei

Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada
No chão do medo

Tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos
Na noite abafada
Jazem nos fossos
Vítimas dum credo
E não se esgota
O sangue da manada

Se alguém se engana
Com seu ar sisudo
E lhes franqueia
As portas à chegada

Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada


"Letra e música de José Afonso
Gravado em Roma, disco de solidariedade para com o jornal República e a reforma agrária, editado em 1975, com interpretações de José Afonso e de Francisco Fanhais, numa iniciativa conjunta do Manifesto e das organizações Lotta Continua e Vanguardia Operaria, nunca foi distribuído em Portugal."



(1963)






No hay comentarios: