.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar Góngora – ¡Qué difícil es entender la belleza! Günter Eich

domingo, 1 de julio de 2018

Amália Rodrigues - Nem às paredes confesso



El 1 de julio de 1920 nació la gran cantante Amália Rodrigues en Lisboa, y la recordamos con esta composición de Artur Ribeiro y Ferrer Trindade.


NEM ÀS PAREDES CONFESSO

Não queiras gostar de mim, sem que eu te peça,
Nem me dês nada que ao fim, eu não mereça.
Vê se me deitas depois culpas no rosto,
Isto é sincero porque não quero dar-te um desgosto.

De quem eu gosto nem às paredes confesso,
E até aposto que não gosto de ninguém.
Podes sorrir, podes mentir, podes chorar também,
De quem eu gosto, nem às paredes confesso.

Quem sabe se te esqueci ou se te quero,
Quem sabe até se é por ti por quem eu espero,
Se eu gosto ou não afinal, isso é comigo,
Mesmo que penses que me convences nada te digo.

De quem eu gosto nem às paredes confesso
E até aposto que não gosto de ninguém
Podes sorrir, podes mentir, podes chorar também
De quem eu gosto, nem às paredes confesso




No hay comentarios: